Notícias

Banco de Leite Humano: fortalecendo e apoiando a amamentação.


Data de Publicação: 1 de agosto de 2022


banco-de-leite-humano-fortalecendo-e-apoiando-a-amamentacao

     “O aleitamento materno é o padrão-ouro da alimentação, sendo reconhecido como a mais sábia estratégia natural de vínculo, afeto, proteção e nutrição para a criança, constituindo a mais sensível e econômica intervenção para a redução da morbimortalidade infantil. Por fim, essa prática permite, ainda, um grandioso impacto na promoção da saúde integral da dupla mãe bebê”. Esta definição, do Caderno de Atenção Básica 23/2015, do Ministério da Saúde, mostra o quanto é vital este ato de amor e cuidado para a saúde, contribuindo para a segurança alimentar aos lactentes e à família.

     A Organização Mundial da Saúde (OMS), o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) e o Ministério da Saúde do Brasil (MS) orientam que o aleitamento materno seja  exclusivo, em livre demanda, até o sexto mês, sem o uso de outros líquidos ou sólidos e continuado até os dois anos ou mais de idade. O leite materno pode ser oferecido direto da mama, ordenhado, ou ser, também, leite humano pasteurizado de outra fonte, isto é, de doadoras, por meio dos Bancos de Leite Humano (BLH).

     Estima-se que o aleitamento materno poderia evitar 13% das mortes globais em crianças menores de cinco anos, por causas preveníveis (JONES, 2003 - Caderno de Atenção Básica 23/2015); no mundo poderiam ser salvas 1,47 milhões por ano, se fosse seguida a recomendação de aleitamento materno exclusivo até o sexto mês  e continuado até dois anos, ou mais  (OMS, 2008). 

     A Aliança Mundial para Ação em Aleitamento Materno (Waba) propõe, anualmente, desde 1992, a Semana Mundial de Aleitamento Materno (Smam), que ocorre de 1 a 7 de agosto, período escolhido em comemoração à declaração de Innocenti, de 1990. Entretanto, após alguns anos, a semana passou a ser comemorada durante todo o mês de agosto, com temas dedicados à promoção, à proteção e ao apoio ao aleitamento materno, passando a ser conhecida também por Agosto Dourado (dourado, nesse caso, devido ao padrão-ouro da qualidade do leite materno). O tema escolhido para este ano foi “Fortalecer a amamentação educando e apoiando”.

     Nesse contexto a Rede de Bancos de Leite Humano (rBLH-BR ), colabora ativamente no atendimento e fortalecimento das famílias e da sociedade, por meio da promoção de um ambiente acolhedor e empático, que seja favorável à amamentação e que seja embasado em conhecimento técnico, atualizado e, acima de tudo, humanizado, ou seja, considerando as especificidades de cada família. A RDC  171, de 4 de setembro de 2006, conceitua BLH como serviço especializado, responsável por ações de promoção, de proteção e de apoio ao aleitamento materno e à execução de atividades de coleta da produção lática da nutriz (mãe que amamenta), do processamento, do controle de qualidade e da distribuição desse leite.

    Dentro da rotina dos BLHs as ações de promoção e de apoio ao aleitamento materno, o manejo clínico da amamentação, a busca domiciliar do leite humano doado, e a pasteurização do leite humano. Essas unidades devem estar sempre abertas para a sociedade, uma vez que atendem mulheres, crianças, familiares internados em hospitais, e a população externa que os acessa por demandas variadas sobre amamentação.

     Entretanto, mesmo com o empenho das equipes dos BLHs e apoiadores, o volume de leite humano doado e posteriormente pasteurizado não é suficiente para atender a totalidade dos bebês internados nas unidades de tratamento intensivos da grande maioria dos hospitais. Dessa forma, torna-se necessário elencar critérios de prioridade, de acordo com os estoques de cada hospital, de forma que, na maioria das vezes, por exemplo, a prioridade são os recém-nascidos prematuros extremos, ou bebês de muito baixo peso e os com enteroinfecções (inflamação do estômago e do intestino).

 

     A nutriz, ao verificar que produz quantidade além das necessidades do seu bebê, poderá ser doadora. Para isso deverá realizar a ordenha dentro das recomendações do BLH. Além disso, é importante que a nutriz esteja  saudável e sensibilizada para a realização desse processo.

     São diversas as estratégias dos BLHs para a captação de leite humano e para a continuidade da amamentação por até dois anos ou mais (conforme o desejo e possibilidades da nutriz). Entre estas, constam:

  • orientações às gestantes e às puérperas internadas na maternidade;
  • realização de rodas de conversa, de grupos de apoio à amamentação e de grupos de gestantes e de casais grávidos;
  • orientação e acompanhamento das gestantes ao longo do pré-natal, do parto e do puerpério (na atenção básica e/ou no consultório);
  • vinculação com a atenção básica, com sistema de referência e de contrarreferência;
  • elaboração de materiais escritos, os quais educam sobre vantagens e técnicas de manejo da amamentação, técnicas do esgote manual do leite excedente e da sua conservação, sinais de fome e de saciedade do bebê, fisiologia da lactação, anatomia da mama, busca domiciliar do leite humano doado, dentre outros;
  • divulgação em diferentes veículos de comunicação, como mídias sociais, rádio, televisão, jornais, escolas, consultórios,etc.

      No Agosto Dourado deste ano, dedicado ao apoio e educação, os BLHs desejam que as famílias se sintam fortalecidas e esclarecidas sobre a importância da amamentação para o bebê, para a mãe e para a nação. Destacam, ainda, a relevância dos profissionais da saúde estarem atualizados com evidências científicas sobre o tema, de forma que possam acolher essas famílias, visando o aumento dos índices de amamentação no Brasil, assim como a doação de leite humano.

____________________________________

Nutricionista Angelita Laipelt Matias* CRN-2 2821 e Equipe do BLH

*Responsável Técnica pelo Banco de Leite Humano do Hospital Materno Infantil Presidente Vargas - HMIPV

Banco de Leite do Hospital Materno Infantil Presidente Vargas
Avenida Independência, 661, esquina com rua Garibaldi, 6º andar - Porto Alegre
Telefone: 51 3289-3334

___________________________________

Referências Bibliográficas

Agência Nacional de Vigilância Sanitária.Resolução RDC n° 171, de 4 de setembro de 2006.

BRASIL.Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Banco de leite Humano:funcionamento,prevenção e controle de riscos.Brasília: Anvisa,2008.

BRASIL.Ministério da saúde.Estudo Nacional de Alimentação e Nutrição Infantil (ENANI), 2019.

BRASIL.Ministério da Saúde.Secretaria de Atenção à Saúde.Departamento de Atenção Básica.Saúde da Criança: aleitamento materno e alimentação complementar Brasília (Caderno de Atenção Básica nº23,2015).

Folder da Waba/SMAM 2022:Fortalecer a Amamentação -Educandowww.slideshare.net/Marcusrenato/folder-da-Waba-smam-2022-fortalecer-a-am-educando.